quarta-feira, 29 de abril de 2015

Policial civil é baleada e marido morre em troca de tiros como militares em BH

Uma escrivã de Polícia Civil foi baleada e seu marido foi morto durante uma troca de tiros com policiais militares na noite de terça-feira (28) no bairro Pongelupe, região do Barreiro, em Belo Horizonte.   
Uma das hipóteses para a confusão é de que os militares estariam de folga e praticando tiros em uma mata da região. Ao sair do local, eles teriam encontrado com Fabiana Aparecida Sales e seu marido, Felipe Sales, que seriam moradores da região e teriam ouvido os disparos.  
O casal percebeu que um dos homens estava armado e desconfiou que eles poderiam ser assaltantes. Neste momento, houve uma discussão entre os policiais que terminou em tiroteio e a escrivã foi baleada na barriga. Já Felipe Sales foi atingido com oito tiros e morreu no local. Os militares não foram feridos.  
Outras duas versões também teriam sido apontadas por testemunhas como possível causa do início da troca de tiros. Uma delas seria de que o marido de Fabiana teria ficado com ciúmes da mulher e iniciou um discussão com os militares e a outra seria de que os PMs teriam executado Felipe Sales. Entretanto, ainda não se sabe a motivação para esta última hipótese.
Após a confusão, os militares tiveram as armas apreendidas e foram ouvidos em uma companhia da PM. Já Fabiana Sales foi socorrida ao Hospital Júlia Kubitschek, onde permanece internada. Ela não corre risco de morrer e deve ser ouvida assim que tiver alta médica.
Em entrevista à imprensa, o tenente-coronel da PM, William Jaques, informou que um homem de cor negra teria apontado uma arma para os militares e que, logo atrás dele, havia uma mulher. O casal teria dado ordem de parada aos militares, que sem saber do que se tratava, teriam atirado contra eles.
Ainda segundo a PM, a prática de tiro ao alvo praticada pelos soldados na mata não fazia parte de nenhum treinamento oficial da corporação e os policiais estariam utilizando armas particulares. Outra informação repassada pela corporação é que a arma que teria sido utilizada pelo marido da policial civil teria sido roubada de um militar.
Em nota, a Polícia Civil lamentou o ocorrido e informou que a perícia esteve no local do crime e o caso está sendo investigado pela Divisão de Crimes Contra a Vida, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Além disso, o órgão informou que os policiais militares, a investigadora e testemunhas estão sendo ouvidos. Já a Seds (Secretaria de Estado de Defesa Social) ainda não se pronunciou sobre o caso. 

0 comentários:

Postar um comentário

CONTATO!

Administrador:
.::ESTEVES::.
E-mail:
blogdoesteves1@gmail.com

Twitter Blog do Esteves.

Sede Campestre do CSCS Betim.

Seguidores

Postagens populares

Tecnologia do Blogger.

468x60px

Redes Sociais

Posts em Destaque